• Bráulio Conceição

O nosso atelier

Queremos partilhar a nossa metodologia de trabalho, pois para nós é muito importante estarmos bem estruturados quando partimos para um novo projecto.



Estamos mais interessados no desenvolvimento da “narrativa” do que no fim. Queremos que o fim seja a consequência de um grande rigor e empenho dado à fase de desenvolvimento. Tentamos assim criar a nossa própria fórmula:


1. Começamos com a relação com o cliente, a primeira impressão é muito importante e isso ninguém nos ensina na faculdade. No primeiro contacto é muito importante saber ouvir as intenções do cliente.


2. Estudamos o lugar, o programa e começamos a esquissar os primeiros desenhos. Trabalhamos em conceitos separados, para depois haver uma discussão de ideias conjunta, onde partilhamos e reflectimos sobre os vários temas de arquitectura. Ao trabalharmos várias vezes em grupo, fomos percebendo que no início de cada projecto, quanto mais hipóteses forem lançadas para cima da mesa, quanto mais perguntas o desenho colocar ao lugar e ao programa, mais rico e interessante o projecto se irá tornar.


3. Utilizamos a ferramenta archicad para nos pormos logo em contacto com a volumetria do edifício. Uma primeira aproximação que gera imensas dúvidas. Como resposta a essas dúvidas partimos para a maquete, onde conseguimos olhar para o edifício a outra escala e resolver outras questões.


4. Preparamos os primeiros desenhos para mostrar ao cliente. Tentamos que estes sejam transparentes e tenham uma leitura fácil e clara. Em conjunto com a maquete acreditamos que é uma boa forma para que consigam perceber o nosso projecto. Nesta fase lançamos imagens 3D como um meio de processo e nunca como um fim.


5. Quando o projecto é aprovado pelo cliente, começamos a preparar a entrega na câmara municipal respectiva. Consideramos esta entrega essencial, pois é aqui que o projecto começa a ganhar corpo. Definem-se cotas, cérceas, pés-direitos regulamentares, larguras mínimas, etc. Digamos que há um aumento de escala na definição do projecto e isto ajuda muito a preparar o projecto de execução. Consideramos muito importante estar sempre a imprimir os desenhos, passando do computador para o papel.


6. Coordenar as equipas das especialidades é o passo seguinte. Tentamos sempre que haja reuniões onde o diálogo seja claro e transparente, chegando sempre a um consenso entre todos. É aqui que percebemos que na nossa profissão, tem sempre de existir um capítulo dedicado às relações humanas, não basta desenhar e pensar bem.


7. Quando partimos para o projecto de execução, começamos por agarrar nos desenhos que foram entregues na câmara, imprimimos numa escala acima e definimos os Pormenores Construtivos. Nesta fase, temos sempre uma reunião com os clientes, para definir todos os detalhes, materiais e equipamentos do projecto. Acreditamos que quanto mais controlado o projecto for para a obra, menos problemas terá a sua execução.


8. Na preparação de obra, é necessário pedir cotação de custo de obra, no mínimo a 2 empreiteiros. Depois é feita uma comparação entre as várias propostas de forma a ajudar o cliente a contratar o empreiteiro ideal. Durante a construção, faz parte do nosso modo de trabalho, acompanhar todas as fases desde os toscos até aos acabamentos, estando sempre disponível para qualquer dúvida, de modo a garantir uma boa qualidade no produto final.


"Os Aro Arquitectos fizeram o projecto de reabilitação e ampliação da nossa cozinha e sala de jantar. Quando os contactámos e partilhámos uma certa ideia que tínhamos em mente, a Carolina e o Bráulio responderam de imediato com um simples esboço que capturou a essência do que queríamos. Desde então, trabalhar com eles tem sido uma grande viagem, durante a qual provaram ser uma equipa jovem e inspirada, com ideias frescas e modernas. São também muito fáceis de conversar e de trabalhar, sempre abertos aos nossos comentários e propondo sempre soluções alternativas para as poucas reservas que fomos tendo. Trabalharam incansavelmente ao longo das várias fases do projecto. Ajudaram também a encontrar o empreiteiro certo e estiveram sempre muito envolvidos, através de visitas regulares à obra. Voltaríamos a trabalhar com eles sem hesitação." - Carla e Olivier Delmotte
"Tive muito gosto em trabalhar com a Carolina e com o Bráulio. Na fase de concepção de projecto, tiveram uma forte personalidade nas ideias apresentadas, contudo, souberam ouvir sempre as minhas ideias e intenções. Souberam envolver-me da maneira certa. Já em fase de acompanhamento de obra, disponibilizaram-se para aparecer quando havia problemas e tiveram uma grande atenção e rigor aos pormenores e acabamentos." - Hugo Pereira
34 visualizações